Cotidiano

Relatos Re(N)ais: Biografias Sobre o Viver

Por: Thaís Malucelli Amatneeks

 

Eu não sou o que me aconteceu, eu sou o que eu escolho me tornar.

Carl Jung

A história de vida de uma pessoa narrada por ela mesma, nos permite obter informações sobre a sua essência subjetiva, mostrando a experiência e a perspectiva dela. Os homens, como construtores de suas visões e representações acerca dos acontecimentos de sua história, e como sujeitos da História, podem produzir acontecimentos e mudanças.

O resgate da história de vida de alguém pode desempenhar funções psicológicas, sociais e culturais, como: a integração e reconhecimento social, o alivio de sentimentos negativos, o estabelecimento de uma perspectiva de futuro, a possibilidade de melhoria no autoconhecimento e na auto avaliação.

Como a citação do início se refere, não temos controle sobre o que nos acontece, porém com o passar do tempo temos a possibilidade de analisar os fatos e emoções envolvidas, atribuindo um significado diferente para o que se viveu.  A chamada “revisão de vida” permite que a trajetória do indivíduo seja revivida por ele e fornece condições de que aquela memória seja associada com sentimentos diferentes. Pois, conforme vivemos, criamos uma ideia acerca do que aconteceu e como isso nos afetou, e a lembrança desses acontecimentos geralmente carrega um estado idêntico aos acontecimentos que foram provocados na época vivida.

A biografia de um paciente crônico pode contribuir bastante para a compreensão da enfermidade vivida, levando em conta o sujeito que vive e viveu, não somente o sujeito enfermo, tornando-se um recurso terapêutico de muito valor em seu tratamento. A narrativa sobre sua vida incentiva a participação ativa do paciente como autor da sua própria história, reforça suas fortalezas, aumenta a conexão com as pessoas importantes e o ajuda a encontrar um sentido no sofrimento, integrando a doença à sua história de vida, como um capítulo da sua história a ser superado.

Refletindo através dessa linha de pensamento, foi criado pelo Setor de Psicologia da Fundação Pró-Renal o projeto RELATOS RE(N)AIS: BIOGRAFIAS SOBRE O VIVER. Destinado à promoção de saúde dos pacientes renais crônicos que, em trabalho terapêutico narraram suas histórias de vida, e reviram suas trajetórias, tendo a possibilidade de, por meio destes relatos, ressignificar algumas lembranças.

Alguns desses pacientes, além de se beneficiarem desse recurso de modo terapêutico, desejaram compartilhar suas histórias como modo de auxiliar novos pacientes e até mesmo a comunidade a entender as experiências de um paciente renal crônico ao longo de sua vida.

Com a devida autorização, iremos publicar no blog mensalmente, histórias de pacientes e profissionais que lidam cotidianamente com a Doença Renal Crônica, em seus diversos tratamentos e contextos. E convidamos você à ser expectador dessas histórias cheias de vida. Fique de olho!!

E se você tem interesse de conhecer mais esse recurso terapêutico, confira as referências a seguir:

DELGADO, L.A.N. História oral e narrativa: tempo, memória e identidades. VI Encontro Nacional de História Oral, 6, p. 9-25, 2003.

FELDMAN, S.; HOWIE, L. Looking Back, Looking Forward – Reflections on Using a Life History Review Tool With Older People. Journal of Applied Gerontology, V.28, N.5, pp.621-637, Out/2009.

SANTOS, I. M. M.; SANTOS, R.S. A Etapa De Análise No Método História De Vida – Uma Experiência De Pesquisadores De Enfermagem.Texto Contexto Enferm, Florianópolis, 2008 Out-Dez; 17(4): 714-9.

PEREZ, M. P.; ALMEIDA, M. H. M. O processo de revisão de vida em grupo como recurso terapêutico para idosos em Terapia Ocupacional. Rev. Ter. Ocup. Univ. São Paulo, v. 21, n. 3, p. 223-229, set./dez. 2010.

Leave a Reply

Theme by Anders Norén