Textos Reflexivos

“Você partiu meu Coração” e a Modernidade Líquida

fonte da imagem: https://itunes.apple.com/br/album/voc%C3%AA-partiu-meu-cora%C3%A7%C3%A3o-feat-anitta-wesley-safad%C3%A3o-single/1193345107

Por: Jéssica Caroline dos Santos

A canção “Você partiu meu coração” interpretada pelo cantor Nego do Borel com participação de Anitta e Wesley Safadão agradou e provocou uma identificação entre o público brasileiro. A música retrata temáticas da atualidade como: relacionamentos, sentimentos e traição.

A letra da música parece representar adequadamente a realidade de muitas pessoas quando o assunto é relacionamento. Por meio das mudanças culturais tanto homem como mulheres demonstram uma dificuldade em vivenciar experiências mais profundas quando se trata do fenômeno “amor”. A própria música parece retratar o que as pessoas acabaram se tornando na atualidade pedaços de esquemas”. A superficialidade, medo do envolvimento, responsabilidades e da expressão da própria personalidade fazem parte dos vínculos atuais.

Buscando entender esse fenômeno o autor Zygmunt Bauman usa o conceito de “Modernidade Líquida”  como expressão para denominar o formato atual da condição moderna. Segundo ao autor, o que torna líquida a modernidade é a sua modernização compulsiva e obsessiva, capaz de impulsionar e intensificar a si mesma. Nesse sentido, aplicativos e sites de relacionamentos se tornaram uma fonte infinita de contatos afetivos, desse modo, o processo da conquista e a necessidade de vínculos sociais reais estão cada vez mais escassos.

Os relacionamentos afetivos perderam sua forma. Neste contexto, Bauman utiliza o termo Liquidez no sentido de dissolver tudo que é sólido, uma característica inata e definidora da forma de vida moderna desde o principio, em que as coisas e as relações não são feitas para durar. As pessoas estão em busca da liberdade de uma individualidade em detrimento de uma vida social estável e compartilhada.

Pessoas como pedaços de esquemas demonstram a fragilidade e a superficialidade dos laços humanos, falta de cuidado consigo e com o outro. Bauman descreve que isso gera indivíduos “descartáveis”. Se algo não está bom: descarta! Lidar com diversas pessoas descartáveis o torna, da mesma maneira, também descartável. É o que Bauman chama de “amor líquido”. Na música e na atualidade é representada pelo amor sem apego ou envolvimento, o que torna as pessoas inseguras e vulneráveis quando estão nessas condições.

A experiência de amar, vivenciar algo tão profundo e inspirador, transformou-se em sinônimo de satisfação de necessidades imediatas e egóicas. A música parece inspirar soluções para problemas afetivos, mas a profundidade dessa questão somente expõe o homem moderno cada vez mais ao vazio e a solidão sem nenhuma transformação.

Apenas as experiências profundas e conflitantes podem trabalhar a unilateralidade da consciência e permitir as pessoas um desenvolvimento em sua totalidade. A satisfação das necessidades focadas no apenas num único querer apenas reforçam conteúdos sombrios da própria personalidade. É preciso ter consciência daquilo que se está buscando e ter cuidado ao adentrar uma relação liquida, justamente pela descartabilidade que ela provocará. Viver esquemas pode até fazer parte da modernidade líquida, mas para aqueles que buscam a experiência do cuidado e amor não é o melhor caminho a ser seguido.

Em suma, a vida líquida é precária, vivida em condições de incertezas constante em que o conectar e o desconectar são palavras muitos utilizadas nos relacionamentos modernos. A mudança não precisa ser externa é um olhar e um cuidado que precisamos ter com o nosso próprio ser antes de vivenciar tais experiências ou partes de esquemas.

Referências

Bauman, Z. (2004). A fragilidade dos laços humanos. CEP, 12031, 260.

Bauman, Z. (2013). A cultura no mundo líquido moderno. Tradução de Carlos Alberto Medeiros.

 

 

 

 

2 Comments

  1. Fabiana Santos

    Acredito que os valores mudaram muito e mesmo que estejamos em busca de um amor mais profundo, a velocidade que em que vivemos acaba nos “engolindo” pra essa modernidade que traz tudo mais superficialmente. É possível evitar esta situação e viver o que se quer, basta ter a percepção do cenário e seguir objetivamente rumo ao que buscamos. Adorei a abordagem! Obrigada por dividir o conhecimento. Parabéns! 🙂

  2. Scheila

    Adorei a forma como passou a mensagem… Bora mudar isso!!

Leave a Reply to Cancelar resposta

Theme by Anders Norén